Conheça as características e a história do Akita Inu

4 minutos para ler

Talvez seja o seu aspecto de urso, seu porte imponente ou seu olhar penetrante… O fato é que o Akita Inu conquista uma legião de fãs com as suas características peculiares. A raça ficou famosa após estrelar ao lado de Richard Gere o filme “Sempre ao seu lado”, a história de um cão que aguarda em uma estação de trem o retorno do seu tutor falecido.

O roteiro segue um conto japonês verídico, país de origem da raça. Quer conhecer melhor as características do Akita Inu? Continue conosco!

Origem e história da raça

A origem do Akita é controversa. Uns dizem que surgiu no Japão, há 3000 anos, outros suspeitam que tenha surgido na Europa e depois aparecido no Oriente. Porém, o fato é que o Akita moderno surgiu no século XVII, como protetor e cão de caça nas montanhas de neve da ilha de Honshu, no Japão. Aliás, “inu” em japonês significa “cão”.

Por volta de 1800, os usaram como cães de rinha e promoveram cruzamentos com outras raças para aperfeiçoar as habilidades de combate, mas felizmente a prática foi proibida. Em 1907 os japoneses fundaram a Sociedade Akita Inu Hozonkai para preservar as características originais do Akita e, em 1931, a raça foi nomeada uma das riquezas naturais do Japão.

O Akita mais famoso de todos os tempos foi Hachiko, estrela do filme japonês Hachiko Monogatari, que recebeu refilmagem americana em Sempre ao seu lado. Hachiko manteve o hábito de esperar pelo seu tutor na estação de trem, mesmo após a sua morte, por 9 anos.

Ainda em vida, sua lealdade foi homenageada com uma estátua de bronze na estação Shibuya, em Tóquio, onde aguardava pelo seu tutor. Após a sua morte em 1935, o cão foi empalhado e segue conservado pelo Museu Nacional de Ciência do Japão.

Para os japoneses a raça tem um grande significado espiritual. É bastante comum as famílias serem presenteadas com uma pequena estátua de um Akita quando nasce um bebê, desejando vida longa, saúde e felicidade.

Desde então sua popularidade tem crescido e a raça é muito usada como cão policial e de guarda no país asiático. O Akita faz parte do grupo de cães do Tipo Spitz e do Tipo Primitivo, junto com raças como Chow Chow, Lulu da Pomerânia e Husky Siberiano.

Características do Akita Inu

Uma das características mais marcantes do Akita Inu é sua cauda emplumada e enrolada sobre as suas costas. É um cão de porte grande e poderoso, sólido e compacto, com ossos pesados e bastante substância.

A trufa é larga e preta e seus olhos pequenos têm um formato quase triangular, de cor marrom escuro. As orelhas também são pequenas e triangulares, bem posicionadas acima da cabeça e eretas. A pelagem é dupla, sendo que a de cobertura é longa e áspera (o que protege o cão da umidade) e o subpelo é denso e macio.

Qualquer cor é permitida para a raça, mas os padrões mais comuns são o branco, vermelho, sésamo e o rajado. Os machos têm de 64 a 70 cm de altura, enquanto as fêmeas de 59 a 64 cm.

Cuidados com o Akita Inu

Os Akita são muito corajosos, leais, obstinados, independentes, tenazes e de temperamento quieto. São afetuosos e devotados aos membros da família e não devem ser tratados como cachorro de quintal, pois necessitam de uma ligação forte com seus tutores.

São brincalhões e, apesar de não serem excessivamente ativos, precisam de exercícios regulares e atividades mentais enriquecedoras. A raça ocupa a 54ª posição no ranking de inteligência e não é indicada para criadores inexperientes, pois é preciso firmeza para tornar o Akita obediente.

Dentre as maiores preocupações de saúde da raça estão a displasia de quadril e a atrofia progressiva da retina, então, tenha especial atenção ao quadril, aos cotovelos e olhos dos seus cães. A expectativa de vida é de 10 a 12 anos.

Lealdade é, certamente, uma das mais notáveis características do Akita Inu. Além de protetores e corajosos, esses belíssimos animais oferecem uma ótima companhia a quem se dedicar a criá-los.

Gostou da leitura? Compartilhe o post nas suas redes sociais para que mais pessoas conheçam a história dessa raça encantadora!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-