Doença periodontal em cães: aprenda como prevenir e tratar

4 minutos para ler

A doença periodontal em cães é uma das mais comuns e, geralmente, surge em pets a partir de 2 anos. Afeta todas as raças, em especial as de pequeno porte. Sua principal causa é o surgimento da placa bacteriana que se acumula nas gengivas — podendo provocar sérias consequências.

É uma doença tratável e que também pode ser prevenida por meio de medidas relacionadas à alimentação e a alguns hábitos de higiene — que devem fazer parte da rotina do cão de qualquer raça e porte. No entanto, o tutor deve ficar atento para que a doença não avance, tratando-a logo no seu estágio inicial.

Neste artigo, você saberá mais sobre essa enfermidade, conhecida também por periodontite, que pode ser prevenida e tratada. Continue a leitura e acompanhe!

O que é periodontite?

A doença periodontal em cães, comum em animais acima de dois anos de idade, provoca uma inflamação na gengiva (gengivite) e destruição de tecidos de sustentação do dente. A causadora da doença é a placa bacteriana que surge na cavidade bucal dos cães devido à falta de higienização e do tipo de alimentação oferecida ao pet.

O maior problema é que a maioria dos tutores deixa a doença avançar. Sua evolução, além da perda dos dentes, pode levar a sérias consequências, como o acometimento de órgãos vitais.

Ocorre que as bactérias presentes nas lesões provocadas pela placa bacteriana entram na corrente sanguínea do pet e migram para outras regiões do organismo. Podem se instalar em órgãos, como rins, fígado e coração — causando-lhes sérias lesões.

Como ocorre o diagnóstico da doença?

A identificação da doença periodontal em cães ocorre por meio de sinais clínicos que o próprio tutor pode observar. São eles:

  • halitose intensa;
  • salivação espessa;
  • mobilidade dental;
  • sangramento oral;
  • cálculo e gengivite.

Dependendo do caso o veterinário encaminha o paciente, após o exame clínico, para um profissional especializado para o tratamento adequado.

Como prevenir a doença periodontal em cães?

O tutor deve ter em mente que seu cão necessita de uma alimentação saudável. Os alimentos devem ser essencialmente secos, evitando-se os macios — pois são esses que se alojam nas gengivas, provocando o tártaro.

Deve-se também acabar com a mania de dar guloseimas para cachorros, eles têm que comer somente o que consta na dieta. Há uma grande quantidade de produtos disponíveis no mercado que substituem as guloseimas — eles contribuem enormemente para evitar a formação de tártaro.

Será necessário, também, incluir um hábito na vida de seu cão, que é o da limpeza oral — isso só vai ajudar na manutenção da saúde de seu amigo. Hoje existem muitos produtos específicos para escovação que têm por finalidade evitar o surgimento do tártaro e suas consequências.

Como é o tratamento da doença?

Quando a doença está no seu estágio inicial, o tratamento se concentra no controle e prevenção da placa. É essencial introduzir o hábito da escovação diária com pasta de dente especial para cães.

Quando o estágio está mais avançado, haverá necessidade de uma limpeza geral para a remoção de todo o tártaro e placa bacteriana. Geralmente esse procedimento é feito com a aplicação de gel antibiótico.

Em situações graves será necessária uma cirurgia com aplicação de anestesia para a limpeza e remoção das partes infectadas.

Como você conferiu neste artigo, a doença periodontal em cães é tratável. Busque observar sempre os dentes de seu amigo peludo. Se você é dono de canil, então, a vigilância deve ser ainda maior, já que são mais cães e você pode não perceber o avanço da doença.

Afinal, a prevenção é sempre o melhor remédio, se você observar que o tártaro está se formando, leve-o logo ao veterinário para realizar a limpeza.

Você gostou de nosso post sobre periodontite? Já passou por essa experiência? Deixe, então, um comentário neste texto e compartilhe a sua opinião sobre o assunto!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-