Hepatite infecciosa canina: o que você precisa saber sobre a doença

4 minutos para ler

A hepatite infecciosa canina é uma doença que acomete cães e suas consequências podem ser muito graves. Extremamente contagiosa, a enfermidade ataca o fígado dos pets e é mais comum em cachorros mais novinhos.

Para que não evolua, é necessário que o tutor observe bem seu pet e perceba os sinais e sintomas da patologia o quanto antes. Assim, será mais fácil que o mal seja combatido a tempo, seu prognóstico de cura seja positivo e a recuperação mais tranquila.

Neste post, você vai conhecer um pouco mais sobre essa enfermidade que acomete nossos peludos, bem como prevenir e tratar a doença. Confira!

O que é a hepatite infecciosa canina?

A hepatite infecciosa canina ou doença de Rubarth, como também é conhecida, é uma enfermidade causada por vírus. Sua ação no organismo do pet causa uma inflamação no fígado que pode levar a sérias consequências. Por isso, todo cuidado é pouco ao observar seu pet.

Quais são os sintomas da hepatite infecciosa canina?

A doença atinge o fígado dos cachorros, que é um órgão fundamental para o bom funcionamento do organismo. O maior problema, porém, é que os sintomas só são perceptíveis no estágio agudo da doença, quando o animal já apresenta sinais de debilidade física. Confira os principais:

  • apatia;
  • sede intensa;
  • febre;
  • diarreia;
  • vômito;
  • tosse, 
  • sangramentos;
  • ínguas com volume alterado etc.

Outros sintomas podem surgir em casos mais graves, como convulsões, desorientação e tremores. Diante disso, o proprietário deverá levar o cão ao veterinário o mais rápido possível, visto que só ele saberá diagnosticar a doença e indicar o tratamento mais adequado.

Como ocorre o contágio?

Trata-se de uma doença contagiosa e extremamente perigosa para cães filhotes, quando ainda não estão com seu sistema imunológico desenvolvido e fortalecido.

O vírus é transmitido durante a fase aguda da doença. O contágio ocorre por meio das secreções do animal, como saliva e muco nasal. Sendo assim, é muito perigosa a transmissão em residências com mais de um cachorro e, em especial, em canis. A orientação e separá-los para que não haja contato nenhum.

A transmissão pode ocorrer também por meio de ectoparasitas, como pulgas e carrapatos. No entanto, não é uma doença transmissível para gatos e outros pets, bem como para os seres humanos.

Como é o diagnóstico?

A única forma de se ter um diagnóstico da doença, além dos sinais e sintomas elencados pelo proprietário do cão, é por meio de exame laboratorial de sangue.

Como é o tratamento da doença de Rubarth?

Além de controlar os sintomas da doença, evitando febres altas, vômitos e diarreias, é comum que o veterinário prescreva antibióticos para evitar infecções. Em casos mais agudos, as transfusões de sangue estão também indicadas para ajudar o organismo do cachorro na luta contra o vírus.

Como prevenir a doença?

Para manter seu cão sempre saudável, esbanjando alegria e animação, e livre de doenças como essa, basta vaciná-lo e seguir as datas prescritas na cartela de vacinação disponibilizada pelo veterinário. A hepatite infecciosa canina é uma das doenças que a vacina impede que acometa seu cão.

Como você viu neste artigo, a hepatite infecciosa canina é uma doença grave, mas que pode ser evitada por meio de vacinação. Não esqueça de vacinar seu pet, você estará protegendo seu amigo contra essa e muitas outras enfermidades.

Se você gostou deste post, assine, então, nossa newsletter e receba em sua caixa de entrada todas as nossas atualizações, ficando por dentro de outros assuntos interessantes como esse.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-