Parainfluenza canina: conheça os sintomas e como tratar

3 minutos para ler

Você sabia que os cães podem pegar gripe? Assim como nós, os peludos também estão expostos a vírus que podem deixá-los muito mal, e um deles é a parainfluenza canina.

Conhecer as doenças infecciosas que acometem os pets é muito importante para que você aplique as medidas de prevenção certas e saiba como identificar e tratar esses problemas.

Pensando nisso, trazemos neste post as principais informações sobre a gripe canina, uma das doenças mais comuns entre nossos amigos de 4 patas. Boa leitura!

O que é a parainfluenza canina?

A parainfluenza canina é uma doença viral causada pelo adenovírus canino tipo II (CAV-2), que, ao se unir a outros micro-organismos, pode provocar a traqueobronquite infecciosa canina, popularmente conhecida como gripe canina ou tosse dos canis.

Os cães muito jovens, entre 6 meses e 1 ano, são os mais acometidos, especialmente nos períodos frios do ano, como no outono e no inverno. Em cachorros com problemas de imunidade ou filhotes não vacinados, a doença pode ser ainda mais complicada.

A transmissão acontece de forma direta, por meio do contato com espirros, secreções e o próprio focinho de cães infectados, ou de forma indireta, por objetos contaminados, como potinhos de comida e água.

Quais os sintomas?

Durante o período de incubação, que pode durar de 4 a 7 dias, a parainfluenza canina não manifesta nenhum sintoma. Depois disso, quando o vírus começa a se reproduzir, os sintomas passam a ficar evidentes, e incluem:

  • tosse seca severa;
  • febre;
  • corrimento ocular e nasal;
  • espirros;
  • vômitos;
  • letargia;
  • perda de apetite;
  • broncopneumonia.

Se você tem dificuldades em interpretar sintomas nos cachorros, associe-os com os de uma gripe humana. De acordo com os veterinários, eles são muito semelhantes. Assim, fica mais fácil identificar o problema.

Como é o tratamento?

O tratamento da parainfluenza canina é feito para amenizar os sintomas, uma vez que o próprio organismo do cão vai combater a infecção no prazo médio de 14 dias.

Os medicamentos utilizados incluem:

  • fármacos antipiréticos, para diminuir a febre;
  • expectorantes, para diminuir a formação de muco nas vias respiratórias;
  • antitussígenos, para evitar que o cão tussa demasiadamente.

Alguns veterinários também podem prescrever o uso de antibióticos como profilaxia, para evitar que complicações aconteçam.

Como é feita a prevenção?

Vacinar o seu cãozinho é fundamental para prevenir essa e outras doenças. Contra o adenovírus tipo II, as doses iniciais devem ser aplicadas ainda quando o cachorro é um filhote, com doses de reforço todos os anos.

Além disso, é muito importante que você leve seus cães ao veterinário periodicamente para consultas e exames de rotina. Dessa forma, você fornecerá todo cuidado e toda proteção de que o seu pet precisa.

A parainfluenza canina é uma doença que pode deixar seu cachorro muito debilitado. Por isso, invista em prevenção e vacine-o. Também não deixe de consultar um veterinário para receber mais orientações, assim como o diagnóstico e tratamento correto para essa doença.

O que achou deste post? Importante, não é mesmo? Então, que tal compartilhá-lo nas redes sociais? Assim, você ajudará os seus amigos a ter conhecimento sobre essa doença. Faça sua parte e ajude a proteger os cães da parainfluenza canina!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-