Entenda de uma vez por todas como funciona o registro inicial

Registro Inicial
4 minutos para ler

A grande maioria das pessoas já ouviu falar em Pedigree, embora não saiba exatamente a sua importância e muito menos como funciona o processo para obtê-lo. Há inúmeros casos, ainda, em que um tutor deseja ter uma documentação oficial para o seu cão de raça cujos pais não têm o Pedigree. Como proceder nessa situação? A solução é o Registro Inicial.

O Pedigree é o documento que certifica a origem do cão, ou seja, comprova que seus ascendentes também seguem uma linhagem pura da raça em questão. Por isso, todo Pedigree consta informações sobre as três gerações anteriores do cachorro — e só poderão ter esse documento os cães que descenderem de animais já registrados.

Mas e o que fazer se você tem um cão de raça pura, mas seus progenitores não têm o Pedigree? Continue a leitura do artigo e saiba o que é o Registro Inicial e o que é preciso fazer para adquiri-lo.

O que é o Registro Inicial?

Há duas maneiras de se obter o Pedigree de um cão: por origem e por padrão de raça. A primeira é por meio do Registro de Ninhada (em que todos os filhotes de cães com Pedigree recebem seus respectivos Pedigrees), e a segunda é por meio da avaliação de um especialista credenciado a um órgão competente.

Nesse segundo caso é aplicado o Registro Inicial (RI): quando os pais do cachorro em questão não têm o Pedigree — que, por definição, exige a história genealógica do cão. O RI é, portanto, o certificado emitido por uma instituição cinófila que tem como objetivo tirar o cão da clandestinidade e reconhecer a pureza da sua raça.

Isso significa que as informações da árvore genealógica do cão não são obrigatórias na hora do Registro. E, se somente um dos pais tiver o Registro Genealógico, os dados podem ser incluídos no documento, porém o cão ainda obtém o RI. Com esse certificado mãos, o tutor pode ter acesso a todos os benefícios promovidos por uma associação cinófila, como uma ampla rede de contatos e informações para aperfeiçoar a raça.

Como obter o Registro Inicial?

Para que você obtenha o Registro Inicial do seu cão, basta que ele seja puro e apresente todas as características que definem o padrão da raça, estipulado pelo país de origem da mesma. Após se associar à Sociedade Brasileira de Cinofilia (Sobraci), o seu cachorro deverá passar por uma avaliação de um especialista credenciado pela entidade, que verificará se ele se enquadra perfeitamente no padrão estabelecido.

Existem três formas de submeter o seu cão à avaliação:

  1. levá-lo a uma das exposições organizadas pela Sobraci e exibi-lo ao juiz que o examinará e emitirá o laudo de especificidade;
  2. levá-lo até o Núcleo Sobraci, com data e hora marcadas;
  3. enviar imagens ou vídeos do cão para a Sobraci (as fotografias devem contemplar o lado esquerdo e direito, bem como a traseira, a frente e a parte superior do cachorro).

Após a comprovação da pureza da raça do cão e o pagamento das taxas de serviço, a instituição fornece o Registro Inicial e demais diplomas relevantes ao seu tutor.

Cabe ressaltarmos que a terceira geração do cachorro que tiver o Registro Inicial poderá adquirir o Pedigree, visto que os dados da árvore genealógica estarão completos — e se, claro, os demais antecedentes também forem registrados.

O que levar em consideração ao solicitar o RI?

Ao pensar em registrar o seu cão, você deve procurar uma entidade idônea e experiente, que conte com especialistas para averiguarem o padrão da raça e que faça a regulamentação do seu canil (se o seu desejo for começar uma criação).

Lembre-se de que ao obter o Registro Inicial numa instituição séria, você terá acesso a todas as informações e suporte necessários para aprimorar o padrão da raça do seu cão.

Com todas essas facilidades, não há mais motivos para manter o seu cão na clandestinidade. Ficou com alguma dúvida a respeito dos certificados? Entre em contato conosco para que possamos ajudá-lo!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-